Meditação

O nosso dia a dia cheio de turbulências nos ofusca a  visão  quanto  a realidade  das coisas,  a ponto  de amarmos o que repelimos e repulsarmos o que nos é necessário; inundados sob um movimento oscilante de vai e vem de emoções, denunciadas em picos de calmaria e instabilidade, preguiça e impulsividade, tédio e agitação, alegria e tristeza, odio  e  amor,  dentre  outras  emoções  que  trafegam em nosso interior, como que em um balé vicioso e permanente. E, neste cenário insano de experiéncias, o indivíduo vai edificando-se carente de si mesmo.

É fato que todo desequilibrio gera insatisfação, seja de ordem pessoal, profissional  ou espiritual,  e, na busca de equilibrar-se, quando na dor, somos levados à reflexão, a sentir aquilo que sabemos, mas não sabemos como fazê-lo.

A busca do equilibrio é algo inerente ao ser humano,  estando  isso  registrado  em  um  dos  Princípios de Le Chatelier, cientista francês que nos contemplou com o conhecimento sobre a necessidade de anularmos a força  perturbadora  de um sistema em equilibrio.

Diante de todas essas evidências, a Escola Ananda realiza, há 24 anos, a MEDITAÇÃO como uma das ferramentas para autoperceber-se e autoconhecer-se, de forma cada vez mais aprofundada,  no dia a dia; para saber bem adequar-se ao meio no qual se insere, a ponto  de  demonstrar-se, equilibradamente, mantendo o equilíbrio tanto humano-individual quanto humano-social, a partir de si mesmo; e, por fim, para saber lidar de maneira sempre nova com as inevitáveis contingências do dia a dia.

Muito mais do que pensar atenta e profundamente sobre alguma coisa, a palavra meditar significa “cultivo” na lingua páli original. A ampla percepção daquilo que pensa, sem julgamentos, sem resistência. Cabendo ao meditador a tarefa apenas de observar aquilo que  se  manifesta  em  sua mente, ou melhor, em sua tela mental ou holográfica.

A respiração é a mola propulsora desta atividade, já que ela principia a prática servindo, inclusive, como agente regulador dos pensamentos evanescentes. Enfim, a cada dispersão do pensamento a atenção deve convergir para a respiração, dando início ao processo.

Técnicas de inspiração e expiração simples são orientadas às crianças e adolescentes, como um convite à pràtica meditativa, oportunizando que cada um deles sejam capazes, ao longo da prática, de despertar, desenvolver e construir percepção ao ponto de avançarem em seu desenvolvimento pessoal tendo como efeito positivo o equilíbrio no seu universo particular e, consequentemente, no seu universo social.

Estudos científicos comprovam que a meditação traz diversos benefícios ao ser humano: 

R

Acelera o desenvolvimento das funções executivas do indivíduo: planejamento, automonitoramento, controle emocional, controle inibitório, tomada de decisão, flexibilidade, metacognição, organização dos recursos e do espaço, memória operacional ou memória de trabalho e discernimento ético e moral;

R

Aumenta a capacidade de controlar e proteger melhor reações fisiológicas básicas, como inflamação ou níveis de hormônio do estresse diante de uma tarefa social desgastante, que geralmente causa tensão;

R

Favorece a sensação de bem-estar;

R

No córtex cerebral, aumenta a espessura cortical, indicando que houve um acréscimo de prolongamento das células nervosas e das conexões sinápticas em algumas destas regiões: lobo frontal, temporal, pariental e occiptal;

R

Melhora a resistência à dor;

R

Favorece a concentração e a capacitação de aprendizagem;

R

Combate a ansiedade, hiperatividade e depressão;

R

Amplia a sensação de paz interior;

R

Desconexão com as preocupações e correrias do mundo externo;

R

Melhora a organização de pensamentos e sentimentos;

R

Desenvolve as qualidades da empatia, compaixão e bondade.

R

Torna o Ser Humano mais responsivo, ao invés de reativo, frente às dificuldades individuais que cada um enfrenta;

R

Desenvolve as qualidades da empatia, compaixão e bondade.;

R

Ajuda a desenvolver um comportamento virtuoso;

R

Equilibra o humor;

R

Ajuda no convívio em sociedade, na comunicação com o outro, permitindo aumentar e melhorar a produtividade no trabalho e no ambiente familiar;

R

Ajuda no convívio em sociedade, na comunicação com o outro, permitindo aumentar e melhorar a produtividade no trabalho e no ambiente familiar;

R

Permite que o Ser Humano mantenha a concentração,inibindo estímulos e comportamentos dispersivos;

R

Provoca alterações estruturais e funcionais na amigdala cerebral, diminuindo sua atividade;

R

Colabora na maior atuação do cortex pré-frontal sobre a amigdala cerebral;

R

Melhora o desempenho escolar;

R

Colabora na respiração;

R

Ajuda na neuroplasticidade cerebral;

R

Altera a estrutura do cérebro, mais especificamente, promovendo aumento da espessura cortical do hipocampo (região responsável pela aprendizagem e memória);

R

Ajuda as áreas do cérebro que desempenham papéis na regulaçãoo das emoções e dos processamentos auto referenciais;

R

Aumenta a densidade das fibras nervosas e o número de conexões cerebrais de sinalizações;

R

Ajuda a aliviar inclusive o transtorno obsessivo-compulsivo.

A ciência e a filosofia já nos mostraram e hoje a neurociência nos evidencia claramente que a prática meditativa tem importância capital na vida de um ser humano.  Neste século frenético ou você aprende a usar os seus pensamentos a seu favor ou se torna refém deles. É com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento de seus educandos e profissionais que a Ananda fomenta diariamente a prática meditativa em todos os segmentos que atua.